O sucesso do trabalho parlamentar consiste em servir e perseverar.
Deputado Pr. Jefferson Campos

NEWSLETTER

ACOMPANHE NOSSAS REDES SOCIAIS

Feliz Dia Internacional da Mulher!

Artigo cadastrado dia 08/03/2018
Deputado Jefferson Campos faz homenagem ao Dia Internacional da Mulher e cita grandes referências de Mulheres que fizeram história ao redor do mundo

Estamos em março e chegamos a mais um  Dia Internacional da Mulher . Faço questão sempre de discorrer sobre a data, não porque as mulheres não mereçam que todos os dias do ano sejam seus, mas porque acho importante que se reflita sobre toda a jornada de luta delas pela igualdade de seus direitos. Não posso dizer com  a certeza que gostaria, que elas já atingiram seu objetivo, mas sei que isso é uma questão de tempo. Tenho fé que a humanidade é capaz de corrigir suas falhas e entender que todos são iguais em direito, independente de raça, cor, credo e sexo.

 

Já discursei anteriormente sobre como se deu esta data, sobre as mulheres que fazem parte da minha vida, já usei este palanque para expressar gratidão a todas elas. No entanto, hoje quero falar sobre mulheres que marcaram época.

 

São muitas. Atrizes, estilistas, aviadoras, esportistas, escritoras, poetizas. Não creio que todas tiveram um reconhecimento apropriado, mas muitas fizeram história no decorrer dos séculos.

 

Desde Cleópatra, que viveu antes de Cristo, a rainha do Egito era uma das soberanas de maior poder da antiguidade, foi uma grande negociante, estrategista militar, tinha fluência em seis idiomas e conhecia muito sobre filosofia, literatura e artes gregas.

 

Joana D’arc, foi uma heroína francesa, chefe militar na Guerra dos 100 anos, considerada uma mártir, foi morta na fogueira, acusada de heresia 5 séculos antes de ser canonizada e considerada padroeira da França.

 

Marie Curie, uma cientista ganhadora de dois prêmios Nobel de Química. Por ser polonesa, deu nome a dois elementos químicos: Rádio e Polônio e foi pioneira no estudo da radioatividade. O elemento 96 da tabela periódica, o Cúrio, representado pelo símbolo Cm foi batizado em honra a ela e seu marido Pierre Curie.

 

A Madre Teresa de Calcutá, mulher de fé inabalável. Nascida na Turquia foi considerada por muitos a missionária do século XX, dedicou sua vida para ajudar aos pobres e ganhou o Nobel da Paz de 1979.

 

Indira Gandhi, uma grande estrategista política e pensadora indiana. Foi a primeira ministra da Índia e a primeira mulher a ocupar o cargo de chefe do governo indiano. Foi assassinada em outubro de 1984.

 

A atriz Marilyn Monroe protagonizou clássicos do cinema como "O Pecado Mora ao Lado" e "Os Homens Preferem as Loiras". Apesar da grande fama, ela nasceu e passou a sua infância em lares adotivos, começou a sua carreira como modelo, o que lhe rendeu contratos no cinema. Morreu misteriosamente em seu quarto depois de declarar a famosa frase: “Deixem-me sozinha”, alguns dizem que foi overdose acidental de remédios e outros, suicídio.

Cora Coralina foi uma poetisa de grande importância para o Brasil, doceira por profissão, ela viveu longe das grandes cidades preferindo a vida do campo. Produziu uma obra poética rica em motivos do cotidiano do interior brasileiro, morreu de pneumonia em Goiânia.

 

Lady Di, foi a primeira esposa do Príncipe Charles, filho mais velho e herdeiro de Elizabeth II, rainha do Reino Unido. Ficou conhecida pelo o seu envolvimento em campanhas de combate à AIDS era muito carismática e atenciosa. Morreu em um acidente de carro, seu funeral foi assistido por cerca de 2,5 bilhões de pessoas, tornando-se um dos eventos mais assistidos da história da televisão.

 

Poderia passar horas aqui falando sobre mulheres incríveis e seu legado, mas quero destacar uma, que para os cristãos, foi de grande importância: Aimée Semple McPherson, a fundadora da Igreja do Evangelho Quadrangular.

 

Nasceu no Canadá, em 9 de Outubro de 1890, foi uma grande evangelista e pioneira no uso da mídia moderna para evangelizar, especialmente rádio. Seu primeiro contato com o cristianismo foi através da sua mãe Mildred, conhecida como "Minnie”, que trabalhava com os pobres no Exército da Salvação cozinhando sopas.

 

Em dezembro de 1907, foi com seu pai a uma Reunião de Avivamento, promovida por Robert Semple, evangelista irlandês que futuramente passou a ser seu marido. Para  Aimée, ele foi seu mentor espiritual e seu marido terno, paciente e dedicado. Posteriormente se mudaram para a China, onde seu marido veio a falecer de malária. Voltou para os Estados Unidos com sua filha de 13 semanas nos braços.

 

Com a morte de Robert Semple, Aimée começa a passar por dificuldades financeiras e também necessita dedicar mais tempo a sua filha, pois estava com a saúde muito fragilizada, seus problemas pessoais cada dia mais dificultavam sua vida ministerial.

 

Ela se casa com Harold McPherson e com ele teve Rolf McPherson. A rotina do lar e a distância de seu chamado a fizeram adoecer de depressão gravemente. Durante sua internação entendeu que deveria dedicar a sua vida ao evangelho. Em 15 dias ela estava totalmente recuperada.

 

Em 1915, realizou sua primeira campanha e a primeira edição da revista Bridall Call foi lançada em 1917. No ano seguinte Aimée fez sua primeira viagem transcontinental, atravessando o continente num carro decorado com as frases: "Carro do Evangelho" e "Jesus voltará, prepare-se!", acompanhada pelo casal de filhos, sua mãe e uma secretária.

 

Entre 1918 e 1923 realizou 38 campanhas e no ano 1922 o seu ministério tornou-se internacional, realizando uma campanha na Austrália. Neste mesmo ano, na Califórnia, quando pregava sobre a visão de Ezequiel 1:1-28 foi inspirada a denominar o seu ministério como Quadrangular.

 

No dia 1 de janeiro de 1923, foi inaugurada a igreja Sede Internacional Angelus Temple, com capacidade para 5000 pessoas. Aimée dirigia 21 cultos por semana e nos primeiros meses 7000 pessoas encontraram a salvação em Jesus Cristo.

 

Trinta e três dias depois foi inaugurado o Instituto de Treinamento Evangelístico e Missionário, Aimée também criou uma sala de oração baseada no versículo "Orai sem Cessar". Em 6 de fevereiro de 1924 inaugurou a primeira rádio pertencente a uma igreja nos Estados Unidos e a terceira emissora em Los Angeles, a KFSG. Aimée também foi autora de vários livros, 105 hinos e 13 óperas.

 

Na noite de 26 de setembro de 1944, Aimée pregou o seu último sermão perante uma multidão na Califórnia. No dia seguinte faleceu aos 53 anos de idade. Foi, sem dúvidas, uma mulher inquieta, à frente de seu tempo e memorável e, graças a ela, o evangelho é hoje pregado para milhões de fiéis, em milhares de Igrejas Quadrangulares espalhadas pelo mundo.

 

 

* Artigo extraído de discurso apresentado na Câmara Federal.

Compartilhe via

OUTROS ARTIGOS

PARCEIROS DO DEPUTADO FEDERAL PR. JEFFERSON CAMPOS